Conheça a origem de uma das bebidas mais apreciadas no Brasil e no mundo: a caipirinha

Conheça a origem de uma das bebidas mais apreciadas no Brasil e no mundo: a caipirinha

Sendo a cachaça uma bebida genuinamente brasileira, é muito provável que você já tenha experimentado em algum momento de sua vida, a deliciosa e famosa caipirinha. Ela cai muito bem em diversas ocasiões, seja no verão ou qualquer outra estação, seja em casa, no bar com amigos, ou mesmo em uma festa de gala.

Pensando nesta bebida como uma das paixões nacionais e internacionais, pesquisamos algumas informações sobre a caipirinha. Leia este Blog Post até o final e descubra mais sobre o drink mais queridinho desse Brasil e também dos gringos que por aqui passam.

 

O que é a caipirinha

Genuinamente brasileira, como a cachaça, que é o ingrediente principal do drink, a caipirinha é de origem paulista. É uma das bebidas brasileiras mais conhecidas nacionalmente e internacionalmente. Feita com cachaça, limão Taiti não descascado, açúcar e gelo, a bebida é servida na grande maioria dos bares e restaurantes brasileiros.

O seu preparo requer atenção. Em geral, as caipirinhas são preparadas um copo de cada vez, já que não existe uma receita ou quantidade ideal, deixando os bartender’s fazerem o uso de seu talento para deixá-la saborosa, ao gosto dos clientes.

 

Origem da caipirinha

Como pesquisamos em sites como Wikipédia e Alguns Blogs de confiança, há muitas histórias que relatam a sua origem, mas o consenso é que foi inventada no interior de São Paulo, na cidade de Piracicaba.

Segundo a história mais popularmente conhecida, a história do drink começa por volta de 1918, no interior de SP. Nela, a caipirinha teria sido criada a partir de uma receita popular feita com limão, alho e mel, indicada para os doentes da gripe espanhola.

Como era bastante comum colocar um pouquinho de álcool em todo remédio caseiro, a fim de acelerar o efeito terapêutico, a cachaça era sempre usada. “Até que um dia alguém resolveu tirar o alho e o mel. Depois, acrescentaram umas colheres de açúcar para adoçar a bebida. O gelo veio em seguida, para espantar o calor”, explica Carlos Lima, diretor-executivo do Ibrac (Instituto Brasileiro da Cachaça).

Já para os historiadores, a caipirinha foi criada por fazendeiros latifundiários na região de Piracicaba, no Estado de São Paulo, durante o século XIX, como um drinque local para festas e eventos de alto padrão, sendo um reflexo da forte cultura canavieira na região.

A Caipirinha em seus primeiros dias era vista como um substituto local de boa qualidade ao whisky e ao vinho importado, sendo a bebida servida frequentemente em coquetéis da alta classe de fazendeiros, vendas de gado e eventos de grande notoriedade.

Dessa origem de alta classe, a caipirinha logo passou para o gosto popular, devido ao baixo preço de seus ingredientes, popularizando-se por todo o estado e se tornando a bebida-símbolo de São Paulo no século XIX. No inicio do século XX, na década de 1930, já era possível encontrá-la em outros estados, especialmente no Rio de Janeiro e Minas Gerais.

 

Como servir

A bebida é servida em um copo para a caipirinha, podendo ser acompanhado de um pequeno canudo ou palitos de madeira. Tradicionalmente, a caipirinha é feita no copo em que é servida. Apesar disso, é comum o uso de coqueteleira para a mistura dos ingredientes.

 

Caipirinha de frutas vermelhas.

Gozando de grande popularidade mundo afora, inúmeras variações dessa bebida são conhecidas. Em algumas regiões, açúcar mascavo é usado em vez do refinado. Mesmo no Brasil, podem ser encontradas variantes com adoçantes artificiais ou com uma grande variedade de frutas.

Além disso, a cachaça algumas vezes é substituída por vodca (caipiroska, marca registrada pela Smirnoff), Licor Beirão (conhecido por caipirão), rum (caipiríssima, marca registrada pela Bacardi), ou Steinhäger (caipinheger). “Caipirinhas” de saquê (saquerinha) ou vinho (caipivinho) também são feitas. Em Cabo Verde, a caipirinha é também preparada com grogue, um rum forte local.

Na região Sul do Brasil, mais especificamente na cidade de Maringá, a caipirinha recebe o nome de chimboca e difere da receita tradicional por ter mais açúcar e menos cachaça.

É importante observar que o que se chama de limão no Brasil, conhecido como limão Taiti (verde e ácido), é conhecido como lima ácida verde em outros lugares. Assim, seja por dificuldade de encontrar o tipo de cítrico que usamos ou por confusão acerca do nome, em muitos lugares, especialmente no hemisfério Norte, a caipirinha é feita com lima em vez do limão Taiti — o que em outros lugares é conhecido como limão, é conhecido no Brasil como limão-amarelo ou limão-siciliano, de casca mais grossa e amarelada.

E aí, quer aprender a fazer uma caipirinha daquelas? No Canal do Youtube do João Almeida, que é Jornalista, Sommelier de Cachaça e bartender formado pelo Senac, tem um vídeo bastante didático e ensina a preparar a melhor caipirinha. A nossa dica é que você experiente utilizar a Cachaça Bocaina, Armazenada em Tonéis de Carvalho por 2 anos, e sinta o verdadeiro sabor de uma caipirinha feita com uma cachaça de qualidade.

 

____
Fontes e referências

Wikipédia
Blog Brasil no Copo – João Almeida

HETO Consultoria
helder.heto@gmail.com

HETO Comunicação Inteligente é uma agência de publicidade e marketing que presta serviços de consultoria e assessoria em marketing e comunicação de forma estratégica e planejada, ou seja, de forma inteligente. Foi fundada em 2015 pelo publicitário Helder Tobias, com o desejo de colocar em prática todos os seus conhecimentos e assim ajudar empresas e pessoas a alcançarem seus objetivos estratégicos de mercado.